Espaço Poético. Hiperligação à Página Inicial.

 
  POEMAS

 

Fundo do mar

 

 

 

 

 

No fundo do mar há brancos pavores,
Onde as plantas são animais
E os animais são flores.

Mundo silencioso que não atinge
A agitação das ondas.
Abrem-se rindo conchas redondas,
Baloiça o cavalo-marinho.
Um polvo avança
No desalinho
Dos seus mil braços,
Uma flor dança,
Sem ruído vibram os espaços.

Sobre a areia o tempo poisa
Leve como um lenço.

Mas por mais bela que seja cada coisa
Tem um monstro em si suspenso.

Sophia de Mello Breyner Andresen
Obra Poética I

Bullet.Actividades

Faz um desenho que ilustre este lindo poema de Sophia de Mello Breyner que acabaste de ler.  Toma atenção a todos os pormenores relacionados com a vida marinha que a poetisa descreve e tenta reproduzi-los no teu desenho. De seguida envia-nos o teu trabalho por e-mail, para poesia_portuguesa@hotmail.com e brevemente colocá-lo-emos online na secção Galeria, onde podes encontrar trabalhos realizados por colegas teus.

Retorna ao topo da página.

Hiperligação ao Mapa de Conteúdos do sítio.

Hiperligação a Jogos.
  Hiperligação a Créditos.